Igreja na Amazônia: Formação missionária para crianças, adolescentes e seminaristas



Manaus (AM) acolheu nos dias 17 a 19 três encontros missionários. O primeiro, no sábado, foi uma formação para assessores da Infância e Adolescência Missionária (IAM) que contou com a participação de 64 pessoas. O secretário nacional da Obra, padre André Luiz de Negreiros, tratou de vários temas, entre eles, os 170 anos da IAM que serão comemorados em 2013-2014.

No domingo, 18, foi a vez da consagração de 432 crianças a IAM. Na cerimônia elas receberam  o lenço e o escudo da IAM do Brasil, que, segundo padre André simboliza a renovação de um costume da Infância e Adolescência Missionária, além da preparação para a celebração do aniversário da Obra. Com a consagração de tantas crianças nós renovamos o costume do uso do lenço e o carisma da IAM. É um momento de visibilidade da Obra, pois envolve os pais e responsáveis das crianças, a comunidade. No Brasil o momento torna-se mais significativo porque representa também a preparação dessas crianças e adolescentes para a celebração dos 170 anos de fundação da IAM. O lenço também é fruto da Jornada Nacional da Infância e Adolescência Missionária que passaremos a realizar a partir do próximo ano”, comenta o secretário.


Os seminaristas do Seminário São José de Manaus (propedêutico e quarto ano de teologia)  também tiveram seu dia de formação, na segunda-feira, 19.  Os assuntos tratados foram Pontifícias Obras Missionárias (apresentação); experiência na dimensão missionária como seminarista e como padre diocesano (padre André, testemunho); experiência dos Regionais do Nordeste com relação ao projeto missionário em Moçambique; motivações para despertar a consciência missionária durante o processo formativo dos seminaristas, entre outros. Participaram as (arqui) dioceses de Manaus, Borba, Tefé, Parintins, São Gabriel da Cachoeira, Coari (Regional Norte 1) e Lábrea (Noroeste).

O secretário da IAM avaliou o encontro de maneira positiva e elogiou a dedicação dos participantes pelo esforço coletivo. Mesmo com as dificuldades geográficas que o estado do Amazonas apresenta para se chegar à capital, as pessoas não mediram esforços para participar do encontro. E percebemos a alegria da partilha em prol da formação dos missionários (crianças, adolescentes, seminaristas) e assessores (animadores da missão)”, disse.

Comentários