IAM da Argentina partilha suas experiências



As experiências são válidas e devem ser partilhadas. O Cone-Sul (Argentina, Brasil, Uruguai e Paraguai) é um exemplo para as Pontifícias Obras Missionárias (POM) no mundo, pois estamos sempre partilhando e aprendendo juntos”. A secretária nacional da Infância e Adolescência Missionária (IAM) da Argentina, irmã Marcela Davies, afirma a frase acima com convicção e aconselha os coordenadores estaduais da IAM no Brasil a seguir o exemplo.

As atividades da manhã deste sábado, 8, na 17ª Assembleia Nacional da Obra que  tem nas crianças o protagonismo missionário, foram voltadas para a partilha das experiências da IAM da Argentina que, mesmo sendo mais nova do que a brasileira, tem uma significativa caminhada a ser seguida.

A Igreja na Argentina é composta por oito regiões pastorais e 76 dioceses. A IAM está presente em todas elas. Com uma organização diferente da brasileira, as Pontifícias Obras Missionárias da Argentina têm diretores em todas as suas dioceses. No Brasil, essa organização se dá através dos conselhos missionários que têm atuação nacional, regional, diocesana e paroquial.


Os secretários nacionais da IAM naquele país são cinco, sendo que apenas irmã Marcela trabalha na sede nacional, em Buenos Aires. Os outros desenvolvem suas atividades em cinco regiões pastorais. “Cada secretário assume uma região tendo assim relação direta com aquela área”, informou Marcela.

A IAM Argentina realizou em 2011, sua primeira Jornada que contou com a participação de 800 crianças e adolescentes. É um evento que também será adotado pela Obra brasileira a partir do próximo ano com a abertura das celebrações dos 170 anos de fundação da Infância e Adolescência Missionária.

No Brasil, a IAM também adotou o Concurso de Desenhos que em 2011 envolveu as crianças e adolescentes levando o site das POM ao seu maior pico de acessos em toda sua história. A iniciativa foi adotada também da Argentina que realizou o Concurso com o objetivo de convocar a IAM para a causa ambiental. “Nesse concurso trabalhamos o tema ‘Com Jesus pintamos as cinzas da esperança’; foi um evento que envolveu a IAM em todo o país por meio de um trabalho muito significativo que é educar as crianças e adolescentes para as preocupações ambientais”, colocou a secretária.

Não foram apenas os exemplos positivos que irmã Marcela compartilhou. Ela também tocou no ponto comunicação, trabalho indispensável e intrínseco à Missão. As POM da Argentina contam com uma revista missionária, o portal institucional www.ompargentina.org.ar e as redes sociais. “Não há unidade na comunicação missionária na Argentina. Ainda não conseguimos desenvolver uma rede de comunicadores para que tenhamos unidade. As paróquias não se comunicam com as dioceses, e as dioceses não se comunicam com as POM”, alertou. O Brasil também corre esse risco, principalmente com relação aos trabalhos desenvolvidos nos regionais que pouco são divulgados no boletim Serviço de Informação Missionária (SIM) e no site www.pom.org.br.

Cofrinhos Missionários
Como acontece em todo o mundo, os cofrinhos também são prioridade para a Infância e Adolescência Missionária da Argentina e é uma questão que faz irmã Marcela mudar a expressão facial quando toca no assunto. “O dinheiro arrecadado com os cofrinhos é sagrado e exige muita responsabilidade dos animadores (assessores) da IAM. Não é justo nem admissível que se mexa naquele dinheiro a não ser para o objetivo que lhe é conferido: ajudar crianças em todo o mundo”, disse a religiosa.

O secretário do Brasil também deixou sua mensagem sobre os cofrinhos. “O dinheiro dos cofrinhos é sagrado por que é doado por crianças e adolescentes que fazem sacrifícios pessoais para doar as moedinhas às crianças mais necessitadas, por isso, devemos ter muita atenção quanto ao seu objetivo e não podemos nos esquecer de identificar a paróquia, cidade e estado que envia o envia”, lembrou.


Brasil x Argentina
O Brasil conta com uma sede nacional das POM em Brasília. É coordenada por um diretor, padre Camilo Pauletti, e quatro secretários nacionais. Aqui, as POM contam com os sócios, formados por um bispo presidente, dom Sérgio Arthur Brasil, pelos padres secretários e membros do Conselho Missionário Nacional (Comina). A dimensão missionária é organizada no Brasil a partir das POM e execução do Comina até chegar às bases através dos conselhos missionários regionais, diocesanos e paroquiais. São esses conselhos que têm a tarefa de representar as Pontifícias Obras Missionárias nas bases. As POM do Brasil acolhem ainda a Assembleia do Comina duas vezes ao ano em sua sede e realizam duas assembleias nacionais anualmente: da IAM e da Pontifícia Obra da Propagação da Fé.

A Argentina se organiza de um modo diferente do Brasil. Também conta uma sede nacional na capital, Buenos Aires, mas está presente com sedes em todas as dioceses do país, contando com equipes de missão em todas elas. Os eventos nacionais das POM da Argentina agora são dois: dos coordenadores diocesanos e a Jornada da IAM. As POM de lá contam ainda com delegados em todas as 76 dioceses do país, além de cinco secretários nacionais que trabalham em cinco das oito regiões pastorais e uma secretária, irmã Marcela, que atua na capital do país.



Comentários