ÁSIA/PAQUISTÃO - Estupros e torturas contra crianças cristãs: "limpeza étnico-religiosa"


Estupros e torturas de crianças, extorsões contra famílias, abusos e violência que acontecem no silêncio e no terror das vítimas: é o que acontece com a comunidade cristã de alguns subúrbios de Karachi, maior cidade no sul do Paquistão, capital da Província de Sindh. A denúncia chocante foi dada por Michael Javed, parlamentar católico engajado em Sindh.


uma conversa com a Agência Fides, Javed lançou o alarme: os cristãos dos bairros Essa Nagri, Ayub Goth e Bhittaiabad há meses são vítimas de violência, perpetrada por membros de movimentos políticos de grande conotação étnica e islâmica, como os pashtun. As famílias cristãs vivem um calvário e "as pessoas não denunciam os abusos por medo de represálias". Somente no mês passado, conta Javed à Fides, "registramos 15 casos de estupros". Em Essa Nagri existem autênticas "celas de torturas" onde são detidas e estupradas garotas e meninas cristãs. "Para elas pede-se resgate de até 100 mil rupias e se as famílias não podem pagar, elas são torturadas até ficarem irreconhecíveis".

Como resultado de tais violências, nos últimos seis meses, várias famílias resolveram deixar Karachi. "O objetivo da violência é eliminar a presença cristã da área, uma espécie de limpeza étnica: somos considerados escravos, indignos de pisar o solo paquistanês ". Num outro caso assinalado, uma "casa de tolerância" foi aberta perto da igreja católica em Ayub Goth e "garotas cristãs, de famílias paupérrimas, foram obrigadas a prostituir". As autoridades, não obstante sejam avisadas, até agora não tomaram providência. Javed lançou um apelo pedindo "para deter a opressão a nossa comunidade".

A Agência Fides contatou Pe Victor John OFM, franciscano da Diocese de Karachi, pároco em Essa Nagri, (onde vivem 700 famílias cristãs, das quais 300 católicas) e responsável pastoral da área de Ayub Goth, (com cerca de 300 famílias cristãs): "São bairros paupérrimos, cheios de criminalidade e ilegalidade. Violências e torturas existem, perpetradas por membros de partidos políticos islâmicos que ameaçam as pessoas em favor de consenso político, mas também por militantes hostis aos fiéis. Na área é muito difundido o tráfico de droga, com o consentimento da polícia. Faltam escolas e serviços sociais e em tal contexto de pobreza, a violência impera".

"A Igreja - prossegue - está presente com uma escola, um centro de recuperação de usuários de droga, com a obra das irmãs de Madre Teresa e das religiosas Franciscanas do Sagrado Coração de Jesus. Realizamos o nosso serviço sobretudo com crianças e jovens, buscando ajudá-las e educá-las, para tirá-las do mundo do crime".

FONTE: Agência Fides 14/1/2012

Comentários