AMÉRICA/MÉXICO - Crianças de rua mais vulneráveis a serem recrutadas pelo crime organizado



Os menores que vivem nas ruas, além de se envolver em problemas sociais como a dependência de drogas, alcoolismo e gestações prematuras, são mais vulneráveis à influência do crime organizado, que os recruta com muita facilidade. Segundo o coordenador da Casa Meced, que se ocupa de menores em circunstâncias particularmente difíceis, estas situações levam os menores a deixar os estudos para começar a trabalhar.

Meced é um Programa do Sistema para o Desenvolvimento Integral da Família no Estado de Tamaulipas, no nordeste, e tem como objetivo principal desenvolver projetos e atividades de recuperação de meninos e meninas trabalhadores em condições de risco. Muitas famílias trabalham nas ruas, e até agora foram identificadas 14. Em 2008, 61% das 252 crianças de rua abandonaram os estudos. Uma pesquisa mais recente, realizada pela Casa Meced em 2011, indica que de 12% a 15% dos 152 adolescentes e pré-adolescentes de rua tiveram relações sexuais e algumas vezes, fala-se de menores de 12 anos.

Além disso, segundo o estudo, quase todos os menores afirmam não ter experimentado nenhum tipo de estupefaciente. Todavia, 3% conhece crack, 3% pedra, 3% gelo e 3% cocaína. Antes, utilizavam álcool ou marijuana, inalavam cola ou solventes para tintas, mas hoje, quase todas as drogas conhecidas pelos 12% de jovens são derivados de cocaína. Com efeito, 70% dos menores conhece drogas.

Para desencorajar e combater o trabalho infantil, Casa Meced fornece aos pais apoio legal, psicológico, social, médico, recreativo e educativo através de vários programas. A vida dos adolescentes e pré-adolescentes nestes contextos é muito difícil. Hoje, a Casa consegue manter 269 menores com bolsas de estudo, mas existem pelo menos 143 nas ruas de Morelia, capital do estado mexicano de Michoacan. Os agentes de Meced, durante as férias - quando nas ruas existem ainda mais crianças-trabalhadoras - tentam sensibilizar a cidadania para não lhes dar apoio econômico, porque serve somente para incentivar o fenômeno.

FONTE: Agência Fides - 31/3/2012

Comentários