Header Ads

Em Moçambique, crianças e adolescentes da IAM mostram vitalidade


Como parte da cooperação entre as Pontifícias Obras Missionárias (POM) do Brasil e as missões em Moçambique, visitam este país da África austral, o secretário nacional da Infância e Adolescência Missionária (IAM), padre André Luiz de Negreiros e a coordenadora estadual da IAM do Paraná, Elaine Machado. O objetivo é realizar formação para assessores e líderes de grupos em algumas dioceses. O primeiro trabalho aconteceu na região norte, na arquidiocese de Nampula, entre os dias 31 de julho e 2 de agosto.

Em seguida, nos dias 3 a 6 de agosto, foram realizados encontros na diocese de Lichinga, também no norte do país, começando pela paróquia São Miguel em Cuamba. Em mais um relato enviado por email, padre André e Elaine contam que, a viagem de trem entre Nampula e Cuamba teve a duração de 9 horas. “No comboio pudemos conviver um pouco com o povo e perceber as suas alegrias e angústias”, comenta padre André. Na cidade de Cuamba foram recebidos pelos missionários da Consolata, o padre português, José Salgueiro e o colombiano, Álvaro Lopez, e pelas leigas missionárias brasileiras do Projeto Além-fronteiras, Regional Nordeste 5 da CNBB (Maranhão), Célia das Graças Cota, Elza Trindade e Raimunda Maria Soares.

O encontro de formação na manhã do domingo (4) contou com a participação de 1.200 crianças e adolescentes da IAM de duas paróquias. Os trabalhos encerraram com uma missa presidida pelo padre André Luiz e animada pelas crianças. “Na parte da tarde nos reunimos com os jovens da paróquia São Miguel”, relata Elaine Machado. “Falamos sobre a Jornada Mundial da Juventude (JMJ Rio 2013) e também sobre a Juventude Missionária (JM). Para a nossa alegria descobrimos a existência de um grupo da Juventude Missionária”.

Padre André, por sua vez, destaca a vitalidade das crianças. “A alegria das 1.200 crianças foi contagiante, ainda mais que algumas andaram 5 km para participarem do encontro e seguiram com a mesma animação até o final das atividades. Outro fator que me deixou muito emocionado foi saber que, em Cuamba existem 2.100 crianças envolvidas na IAM. Encontramos também um grupo da Juventude Missionária”, conta padre André.


No dia seguinte foi a vez de visitar a comunidade de Mitucue, uma antiga Missão dos missionários da Consolata, em Moçambique desde 1925. De volta a Cuamba, a visita conheceu o Centro Nutricional José Allamano, Instituição que acolhe crianças desnutridas, uma das maiores causas da mortalidade infantil no país, e crianças que convivem com o vírus do HIV/Aids. O Centro, desde maio deste ano, está sob a responsabilidade das três leigas missionárias brasileiras do Projeto Além-fronteiras, Regional Nordeste 5 (Maranhão).
Em outro momento, na Casa da Criança do Adolescente, também em Cuamba aconteceu um encontro com as mães, sobre o papel da mulher na sociedade. “Vale lembrar que participaram também mães protestantes e muçulmanas”, observa Elaine. “Louvado seja Deus por tudo o que pudemos aprender, ver e partilhar nestes dias de peregrinação”.

A viagem de volta a Nampula, outra vez de trem, foi na terça-feira (06). À noite, os padres scalabrinianos reuniram alguns missionários brasileiros para um momento de partilha e celebrar o 9º aniversário de ordenação do padre André Luiz.

No dia seguinte aconteceu uma nova formação sobre a metodologia da IAM para assessores na arquidiocese de Nampula e uma reunião com o diretor nacional das POM em Moçambique, padre Atanásio Camira, que acompanhou todo o trabalho. “Esta visita foi muito valiosa e uma troca de experiência. Aprendi muito. Esta ligação entre Brasil e Moçambique dá mais força e coragem. A formação motivou muito os assessores e dará frutos para nosso trabalho”, avalia o diretor das POM. “Para as crianças foi um momento de festa, fiquei entusiasmado com vossa dinâmica e gostaria de estender o trabalho para todo o país. Como POM, fico grato com o seu sacrifício em deixar vosso país e estar aqui conosco, bem como sua generosidade”, complementa.

A jovem leiga missionária gaúcha, Daniela Gamarra, em Moçambique pelo Projeto do Regional Sul 3 da CNBB, também acompanhou todos as visitas e trabalhos.

Virgínia Maria Jorge, assessora da Catedral Sé em Nampula, revela o sentimento geral. “Hoje, com vossa presença sinto-me mais responsável pela IAM, pois ainda não tinha aprendido algo tão importante sobre a Obra. Saber que vieram de tão longe, com carinho para partilhar conosco, nos motiva muito. Ver pessoas assim e poder conhecer e pertencer à Obra da IAM, nos dá entusiasmo”, sublinha a assessora em nome do grupo.

FONTE: POM - 07/08/2013

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.