Header Ads

Ser jovem cristão na Amazônia



Somos desafiados e provocados a refletir sobre uma das questões que afeta, de maneira devastadora, grande parte da sociedade brasileira, em especial a juventude. Esta se sente vulnerável diante da estrutura social de desigualdade e exclusão, geradora de violência contra as pessoas. Hoje, olhemos de maneira especial a realidade vivida pelos jovens da Amazônia: a população ribeirinha, jovens indígenas, migrantes nas cidades.

A Igreja da Amazônia reconhece com gratidão os numerosos dons que tem recebido. Por isso, precisamos estar atentos aos sinais do Espírito de Deus na vida das pessoas, famílias, grupos, comunidades e nos acontecimentos da história. Para interpretar os sinais dos tempos é necessária a abertura da mente e do coração e também a coragem para a conversão
pessoal e das estruturas.

Ao final do encontro que celebrou os 40 anos do Documento de Santarém, em julho de 2012, os participantes assim se manifestaram:
- Ser uma Igreja pobre junto aos pobres, solidária com os excluídos e abandonados, também em momentos de enfrentamentos;
- Contribuir para a mudança de mentalidade que considera a Amazônia colônia ou periferia do Brasil;
- Estar ainda mais atentos à realidade desafiadora dos centros urbanos e dos grandes projetos que avançam a qualquer custo, esmagando toda forma de vida que se mostra como empecilho ou resistência;
- Formar e dinamizar comunidades e lideranças missionárias numa pedagogia que considere a vida e a realidade das pessoas, dando-lhes atenção e acompanhamento necessários a fim de que abracem com convicção o seguimento de Jesus, sendo protagonistas da missão;
- Viver o caminho de escuta da voz de Deus na Palavra Sagrada escrita e nos gritos do povo, denunciando erros e injustiças, apontando luzes e esperanças;
- Empenhar–nos para que a Igreja tenha, cada vez mais, rosto e coração amazônicos, na certeza de que Cristo, o Missionários do Pai, arma sua tenda na Amazônia;
- A Igreja da Amazônia se propõe a: fortalecer, apoiar, articular, preparar e ajudar as diversas expressões da juventude.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.