Header Ads

Assembleia da IAM: “Missão sem liturgia é publicidade”, diz liturgista


Liturgia, celebração da Palavra e Missa com crianças e adolescentes foi tema de estudo na manhã deste sábado, dia 7, na 18ª Assembleia Nacional da Infância e Adolescência Missionária (IAM), evento que acontece em Brasília (DF). O Encontro reúne os coordenadores da IAM de todos os estados do Brasil para avaliar as atividades realizadas durante o ano e planejar os trabalhos de 2014.

A formação foi orientada pelo jovem Danilo Alves da Silva, da diocese de Patos (PB), membro do Nordestão de Liturgia e da Rede Celebra. “Liturgia é um serviço gratuito feito por amor e associado ao grande serviço de Cristo que entrega sua vida pela humanidade”, explicou o assessor. “Atualizamos hoje a ação de Cristo que realizou a grande liturgia na sua paixão, morte e ressurreição. Na liturgia nós glorificamos a Deus e somos santificamos”, completou.

Danilo destacou que a missão profética da liturgia é mudar a realidade em que vivemos. “Não somos meros espectadores, mas participantes de uma celebração que se vive aqui numa antecipação daquilo que se espera viver no Reino de Deus. Por isso é importante que as crianças sejam envolvidas nos diversos momentos da celebração mediante uma preparação prévia”.

Outro aspecto destacado foi a dimensão comunitária da liturgia ligada à missão. “Liturgia somente acontece em comunidade. Missão sem liturgia é publicidade. Não dá para fazer missão sem celebrar a vida. Por isso a nossa vida missionária é uma grande liturgia. Na missa, nos alimentamos para a Missão na mesa da Palavra e da Eucaristia”.

Quanto à criatividade, Danilo alertou para os riscos na utilização de certos ‘penduricalhos’ que acabam por ofuscar o essencial, que é o mistério da paixão, morte e ressurreição de Cristo. Outro exagero mencionado foi a chamada missa de cura e libertação. “A Eucaristia cura, por isso não há a necessidade de inventar a liturgia ou a missa de cura”, advertiu o liturgista.

A utilização dos cânticos, leituras, símbolos, gestos, ofertório e homilia, foram outros aspectos contemplados na explanação do assessor. Em seguida, Daniel apresentou o Ofício Divino de adolescentes e crianças, uma adaptação do já popular Ofício Divino das Comunidades, criado a partir do Concílio Vaticano II para colocar a liturgia das Horas nas comunidades cristãs. A versão para adolescentes e crianças foi preparada exclusivamente às novas gerações que iniciam seu caminho de fé. Trata-se de possibilitar aos adolescentes e às crianças o acesso à linguagem comunitária da fé. A oração é feita especificamente em dois momentos: manhãs e tardes. “O Oficio Divino, com todas as orações litúrgicas da Igreja é memória da Páscoa de Cristo e da Páscoa do Povo. Não estamos celebrando um discurso, mas uma verdade. Já não é mais uma oração somente para clérigos, padres e monges, mas de toda a comunidade cristã”, sublinhou Danilo Alves.


Para o secretário nacional da IAM, padre André Luiz de Negreiros, “o objetivo deste estudo é despertar nos coordenadores da IAM o interesse pelo material nessa área para ajudar as crianças na vivência da liturgia. Contudo, precisamos tomar cuidado para não perder o nosso carisma que é a missão além-fronteiras”, observou padre André.

No final da manhã a Assembleia recebeu a visita de dom Valdir Mamede, bispo auxiliar de Brasília e referencial para a missão no Regional Centro Oeste da CNBB. Dom Valdir destacou a dimensão missionária da Igreja que vem desde o Batismo. “Não se trata de teorias ou ideias, mas de uma experiência com Deus vivo. Nós queremos tornar essa experiência conhecida para mais gente no mundo. Somos chamados para o anúncio e não podemos esmorecer”, afirmou o bispo.

A Assembleia encerra no domingo, 8, com o planejamento das atividades para 2014.

Conheça o site das Pontifícias Obras Missionárias - POM: www.pom.org.br

Jaime C. Patias
FONTE: POM - 07/12/2013

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.