Bate Latas anima comunidades no entorno de Brasília


Integrantes da Infância e Adolescência Missionária e da Catequese na Capela São Francisco de Assis, pertence à paróquia Nossa Senhora Auxiliadora, em Vicente Pires (DF) promoveu no domingo, dia 28 de setembro, o seu 1º Bate Latas. O evento fez parte das atividades da novena em honra do Padroeiro da capela e contou com a participação de cerca de 150 pessoas inclusive vindas de outras comunidades como São Luiz Gonzaga e São João Batista no Gama (DF), Recanto das Emas, Setor O, Samambaia e Rodeador.

A abertura do encontro, pela manhã, aconteceu com a preparação do grupo de evangelizadores do Bate Latas, bem como o último ensaio dos responsáveis pelos cantos e batidas das latas.

Após o almoço, padre Miguel Alon Barros Souza, pároco da paróquia Nossa Senhora Auxiliadora, ministrou uma palestra sobre missão. Em seguida, aconteceu o ensaio para a noite cultural do Encontro Regional Centro-Oeste, da Infância e Adolescência Missionária, que ocorrerá nos dias 10 a 12 de outubro, em Goiânia (GO).

O momento mais importante foi o próprio Bate Latas que saiu pelas ruas do bairro na parte da tarde, com muita alegria e animação durante todo o percurso. Enquanto o cortejo passava atraindo os moradores para a rua, as crianças e adolescentes, com a Bíblia na mão, deixavam uma mensagem.

A ação terminou com a missa às 17h, na Capela quando acontecia o 4º dia da novena do Padroeiro. Os cantos e o salmo ficaram por conta das crianças e adolescentes do coral Raio de Luz, que tem vários membros da IAM. Após uma bênção especial houve a partilha do lanche levado por todos como sinal de unidade e comunhão.


Déa Cláudia Duarte Queiroz, coordenadora Conselho Missionário da arquidiocese de Brasília e vários assessores da IAM das comunidades também participaram.

A pequena missionária Júlia Campos Castilho Dias, 9 anos, já entende a importância de participar da Igreja. “O Bate Latas é uma forma muito boa de evangelizar as pessoas, para que elas sintam vontade de ir à igreja. Serve também para as crianças se divertirem. Eu acho que outras paróquias devem fazer o mesmo, porque isso chama a atenção das pessoas e elas acabam indo para a igreja. Porque as pessoas veem muitas crianças e adultos evangelizando e eles acabam indo no mesmo caminho que a gente. Vir para a igreja é legal e podemos até fazer da próxima vez, eles virem também com a gente”.

Para Marlene Edileuza Alves de Macedo, ministra da Eucaristia da Capela São Francisco de Assis, a iniciativa ajuda integrar os cristãos das várias comunidades. “Eu achei o Bate Latas muito bom, pela participação da turma da nossa comunidade, mas também pela presença de outras comunidades. Eu achei maravilhosa a união entre a IAM das comunidades”, afirmou. Segundo ela, esses momentos deveriam ser repetidos mais vezes, “para chamar outras crianças e adolescentes a fazerem parte da IAM, porque é uma obra maravilhosa da nossa Igreja. O Bate Latas intensifica a convivência das crianças, mas também dos adultos das nossas comunidades com outras realidades. Isso é de grande valia”.

Comentários