#FalaSério: Um milhão de pessoas em risco de fome se não for resolvida a crise política no Sudão do Sul


A crise alimentar no Sul do Sudão ameaça se transformar numa catástrofe e um milhão de pessoas corre o risco de passarem fome de janeiro a março do próximo ano, se não for urgentemente resolvido o impasse político que está paralisando a vida do jovem estado. É o que afirma um relatório intitulado "Da crise à catástrofe" apresentado por várias agências humanitárias que trabalham no país.

"Até agora, a abordagem suave da comunidade internacional nas negociações de paz não conseguiu garantir um significativo cessar-fogo", destaca o relatório. Não obstante os acordos de cessar-fogo assinados por representantes do Governo do presidente Salva Kiir e os da rebelião ligada ao ex-vice-presidente Riek Machar, a situação não se estabilizou e permanece a possibilidade de que a luta seja retomada em larga escala, como foi confirmado pelo rearmamento de ambas as partes

“Esta não é uma crise devida a um desastre natural, mas foi provocada pela ação do ser humano”, sublinha Tariq Reibl, responsável pelos projetos no Sudão do Sul de Oxfam, uma das 10 Ongs que assinou o relatório. A guerra civil, que estourou em dezembro de 2013, provocou a fuga de 1,4 milhões de civis, por causa da posição étnica e tribal assumida desde o início do conflito.

FONTE: Agência Fides - 07/10/2014

Comentários