#FalaSério: Mulheres e crianças são as principais vítimas da guerra no Afeganistão


O conflito bélico em andamento no Afeganistão há 14 anos registrou na primeira metade de 2015 um aumento de 1% das vítimas, 4.921 mortos ou feridos entre os civis, em relação ao mesmo período de 2014. Todavia, a porcentagem de mortes entre as mulheres aumentou 23% e entre as crianças 13%.

Segundo a Unidade de Direitos Humanos da Missão Ajuda das Nações Unidas ao Afeganistão (UNAMA), o aumento lamentável de vítimas entre mulheres e crianças é devido aos guerrilheiros por terra. Também a UNAMA atribuiu 70% das mortes de civis às forças insurgentes.

As Nações Unidas não são capazes de verificar se os talibãs estão se servindo de civis como escudos humanos, mas um grande número de vítimas foi morto a tiros por tropas pró-governo durante tiroteios em áreas residenciais. Desde a retirada das tropas estadunidenses e internacionais do país as forças de segurança estão lutando contra os talibãs que continuam a intensificar os seus ataques, passando do sul e do leste para o norte e juntando outros grupos insurgentes.

Segundo relatos de algumas autoridades afegãs, juntaram-se à guerra contra Cabul também outros insurgentes, como a milícia racial Estado Islâmico, que controla um terço da Síria e do Iraque com uma pequena, mas crescente presença no Afeganistão.

FONTE: Agência Fides - 07/08/2015

Comentários