#GotasMissionárias: Natal é vida que nasce!


Iniciamos esta semana no blog da Garotada Missionária celebrando a vida do padroeiro das Missões e também padroeiro da Infância e Adolescência Missionária, São Francisco Xavier. Um missionário espanhol que viveu no século XVI e percorreu grandes distâncias evangelizando. Seu grande sonho era anunciar Jesus na China, mas, morreu sem poder chegar a esta terra que tanto amava. Com Santo lnácio de Loyola e outros companheiros, fundou a Companhia de Jesus. Sua festa é celebrada todos os anos no dia 3 de dezembro, no tempo do Advento.

E o Advento é o momento de celebrar a presença viva do "Deus conosco". É Deus que se manifesta através do consentimento de uma mulher do povo, uma jovem de Nazaré. Com o sim de Maria, Ele se fez carne e veio habitar em nosso meio. Celebrar o nascimento do Menino Jesus é festejar a grandeza e a presença de Deus em nossa vida. É recordar cada momento que vivemos neste ano que termina, com a expectativa de contribuir na realização de um mundo possível desde a nossa comunidade.

Comemoramos também em dezembro, no dia 10, o Dia Universal da Declaração dos Direitos Humanos, instituída pelas Nações Unidas em 1948 (pós-guerra). Esta declaração nos apresenta as necessidades básicas para todas as pessoas, sem distinção de sexo, raça, etnia, classe social, enfim, sem discriminação de qualquer tipo, assegurando o seu direito à vida. Ao falar do direito à vida, quero lembrar antes de tudo, daqueles pequeninos que já não estão entre nós. Falo aqui da realidade de crianças de diferentes culturas em nosso país ou em outros continentes, que não conseguem se defender e são excluídas do direito à vida em nossos campos e cidades. Sem aprofundar muito o fator cultural de cada realidade, é necessário estarmos atentos a estes acontecimentos. Por exemplo, já citamos o caso da China com o amplo aborto de bebés do sexo feminino, mas ainda é comum encontrar a rejeição dos bebés deficientes, a escolha pela vida de um dos filhos quando nascem gémeos, ou quando motivados pela subsistência alimentam as crianças mais fortes, excluindo as mais fracas, enfim, diferentes formas de infanticídio continuam ocorrendo e as ações contrárias a tudo isso são mínimas.

No tempo de Jesus, a lei era valorizada muitas vezes mais que a própria vida e a punição era certa para aqueles que deixavam de cumprir a tradição. Jesus, no entanto, cura o cego em um sábado, mostrando que a missão que o Pai lhe confiou colocava o ser humano no centro, ou seja, a vida defendida acima de qualquer coisa (Jo 9, 1-41). Neste momento de preparação ao Natal do Menino Deus, o Emanuel - Deus Conosco -, clamamos a benção e o olhar da Sagrada Família de Nazaré a todos os pequeninos chamados à vida por um Deus carinhoso e presente em todos os momentos.

Oxalá todas as crianças possam nascer acolhidas e amadas nos cinco continentes do planeta e, sintonizados com a nossa vocação batismal, nós missionárias e missionários, possamos lembrar sempre que ser missionário é superar todo egoísmo e o fechamento em si mesmo para abrir-se aos imensos horizontes da Missão.

De todas as crianças do mundo, sempre amigas!

Roseane de Araújo Silva
Missionária leiga e pedagoga da Rede Pública do Paraná.

FONTE: Revista Missões - Dezembro/2007

Sugestão para o grupo - Cantores da Estrela
Para dinamizar a acolhida ao Príncipe da Paz, neste mês, propomos uma preparação para o Natal do Menino Deus. Vale lembrar que a mesma pode se estender até a festa da Epifania do Senhor. Vestindo como as personagens bíblicas do Natal: Maria, José, magos, anjos, uma criança vestida de estrela e também uma imagem do Menino Jesus, as crianças e adolescentes da IAM podem fazer a experiência dos "Cantores da Estrela", batendo de porta em porta e levando a bênção de Deus, dizendo: "O Menino Deus abençoe esta casa!".

As crianças e adolescentes desenvolvem a visita e coletam ofertas para as crianças e adolescentes que sofrem em todo o mundo. Esta iniciativa é da IAM da Alemanha e se tornou a maior iniciativa de solidariedade em todo o mundo, realizada por crianças e adolescentes em favor dos menores necessitados.

Comentários