Header Ads

IAM do Espírito Santo encontra inspiração em Maria


“Com Maria, Rainha da Criação, tornar Jesus conhecido e amado” foi tema do XV Congresso estadual da Infância e Adolescência Missionária (IAM) e do XII Congresso de Assessores da IAM do estado do Espírito Santo. Com o lema mariano “Fazei tudo o que Ele vos disser” (Jo 2,5), o evento reuniu na cidade de Jaguaré (ES), na diocese de São Mateus, dias 14 a 16 de julho, cerca de 230 crianças, adolescente e assessores das quatro dioceses do estado: Cachoeiro de Itapemirim, Vitória, Colatina e São Mateus. A secretária nacional da IAM, Irmã Patrícia Souza conduziu a formação para assessores.

Gabriela Nass, coordenadora estadual da IAM, explica que o objetivo do Congresso foi reafirmar o carisma da Obra, por meio do 1º compromisso da IAM: “tornar Jesus conhecido e amado”, e do 10º: “tornar Nossa Senhora, a Mãe de todos os povos, conhecida e amada”, em sintonia com o Ano Mariano Nacional. O evento esteve ainda, em sintonia com a Encíclica Laudato sì’ do papa Francisco, sobre o cuidado com a Casa Comum, ao abordar o tema “Maria como Rainha da Criação”.

Durante a oração de abertura em que homenageou Maria, Mãe de todos os continentes, os congressistas doaram roupas e calçados para a Cáritas Paroquial de Jaguaré, como gesto de partilha conforme o 3º compromisso da IAM.

Na programação, enquanto Irmã Patrícia dava formação para os assessores, Lorena Bakhita Preato Malacarne trabalhava com as crianças e adolescentes.

A criança missionária deve ter Maria, a primeira discípula missionária, como modelo na missão de tornar Jesus conhecido e amado, pois Nossa Senhora é quem diz ‘eis me aqui’ (Lc 1,38) em uma entrega de generosidade e amor a Deus e à humanidade”, afirmou Lorena. “Maria sai apressadamente para se encontrar com sua prima Isabel (Lc 1,39); e também é aquela que pede ‘fazei tudo o que Ele vos disser’” (Jo 2,5).


Padre Domenico Salvador, missionário Fidei donum, esteve com as crianças e mostrou que “o missionário é um enviado de Deus pela Igreja a anunciar a Boa-nova de Jesus e promover a vida e a justiça”. Afirmou ainda que a missão é “sonhar o mundo inteiro para construir o canteiro”.

Irmã Patrícia refletiu sobre os desafios dos assessores e parte do Texto-base do 4º Congresso Missionário Nacional a ser realizado em setembro, em Recife (PE).

A programação incluiu oficinas sobre realidades missionárias segundo as áreas integradas e uma festa julina com quadrilha, caldos e doces típicos da cultura capixaba.

Dom Paulo Bosi Dal’Bó, bispo diocesano de São Mateus, entusiasmado com o encontro, afirmou a importância do protagonismo jovem na Igreja e na sociedade. Isso começa desde a infância. Ele compôs o hino do Congresso intitulado “Mãe Missionária”, cantou e ensinou a coreografia.

A coordenadora estadual da IAM, Gabriela Nass, apresentou os desafios para o pós-Congresso, no tocante à identidade, carisma, metodologia e parcerias. Falou também das temáticas trabalhadas na vida de grupos, formação de lideranças e transição para a Juventude Missionária (JM). “O Congresso reafirmou que IAM é um bem muito precioso para a Igreja solidária, servidora e missionária”.

Enilson Júnior da diocese de São Mateus, membro da JM e assessor da IAM destacou a importância do Congresso não só para a IAM, mas também para a JM já que envolve os jovens enquanto assessores.

O jovem Kaylan Bettim, que no ano passado fez a transição para a Juventude Missionária, foi um dos grandes articuladores do Congresso. “A organização do encontro rendeu muito trabalho, entretanto foi muito prazeroso. Agradeço aos 12 grupos de IAM da sua paróquia que trabalharam incansavelmente na realização do evento”.

Na missa de encerramento, a diocese de Colatina que sediará o próximo encontro em 2019 recebeu a vela do Congresso. Ainda teve a doação de mudas de árvores nativas e frutíferas a todos os congressistas plantarem em suas comunidades, como símbolo do compromisso de cuidar e guardar a Criação.

Com informações da IAM no Espírito Santo


Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.