Header Ads

A revolução da Infância Missionária: 175 anos que crianças ajudam crianças


"Com a Santa Infância nasceu um novo estilo de missão que incide sobre a graça do batismo, do qual nasce o caráter missionário de todo cristão e também reconhece o direito da criança recebê-lo. Pela primeira vez na Igreja, as crianças tornaram-se agentes ativos na evangelização, protagonistas em sua simplicidade e humildade. A 175 anos existe essa Obra, também chamada de Infância Missionária, cuja missão é salvar as crianças através das crianças". Com estas palavras, a irmã Roberta Tremarelli, AMSS, Secretária Geral da Pontifícia Obra da Infância Missionária, explicou à Agência Fides a particularidade e novidade deste trabalho no campo da animação missionária e no trabalho pastoral com as crianças e adolescentes, por ocasião do 175º aniversário da fundação da Obra Pontifícia.

Em 19 de maio de 1843 foi fundada oficialmente a Obra da Santa Infância cujo nome exprime a vontade do fundador, Dom Carlos Forbin Janson, de confiar a proteção ao Menino Jesus. Nascido em Paris, em 1785, em uma família católica nobre, Carlos Forbin Janson, durante seus anos de seminário na capela do Instituto de Missões Exteriores de Paris, esteve em contato direto com os missionários. Ele ouviu as histórias do trabalho missionário na China e das milhares de crianças que padres e freiras acolhiam, cuidadavam, educavam e batizavam. Seu espírito missionário se forteleceu ainda mais depois da sua ordenação sacerdotal.

Aos 38 anos foi ordenado bispo de Nancy e imediatamente começou a organizar retiros e missões em todas as paróquias de sua diocese. Repartiu a riqueza de sua família e ficou somente com o indispensável. Durante uma ausência da diocese por compromissos pastorais, saquearam o seminário e o impediram de retornar a Nancy. Assim começou um triste período de exílio, no entanto, ele não parava de pensar nos missionários e crianças na China. Depois de três anos de missão na América do Norte, ele voltou para a França e conheceu Paulina Jaricot, a fundadora da Obra da Propagação da Fé. Assim como ela havia feito com os adultos na França, ele organizou o trabalho para crianças da França e em toda a Europa: as crianças ajudariam outras crianças, não só na China, mas em todas as missões do mundo, com uma breve oração diária e um pequeno sacrifício mensal.


"A Obra revelou às crianças europeias as necessidades das outras crianças com uma nova dimensão da consciência missionária: transmitir um olhar e um coração missionário desde a infância", partilhou a Secretária Geral, que acrescentou: "Atualmente, a Obra está presente em mais de 150 países. Através do Secretariado Internacional, que tem sua sede em Roma, e das doações recolhidas em todo o mundo, milhares de projetos de caridade ajudam as crianças e adolescentes dos cinco continentes com o objetivo de fornecer as ferramentas necessárias para viver a vida de uma maneira digna, tanto física como espiritualmente. Os âmbitos de trabalho compreendem a animação cristã e missionária, a formação pastoral e escolar e a proteção da vida".

Em todo o mundo, a Obra está ajudando cerca de 20 milhões de crianças. Em 2017, 2.834 projetos foram beneficiados graças a mais de 17 milhões de dólares recolhidos através do Fundo Mundial de Solidariedade que é financiado pelas doações das crianças em todo o mundo, através do cofrinho missionário. Cada projeto financiado pode e deve ser uma oportunidade e uma ferramenta para a animação missionária.

FONTE: Agência Fides - 18/05/2018

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.