About Me

header ads

Crianças e adolescentes exercem seu protagonismo na missão


Com o apoio de suas famílias e da comunidade, crianças e adolescentes vivenciam na prática aquilo que ouvem falar sobre a missão do cristão. Ao experimentar o processo de participação e motivação, elas se empenham e realizam importantes trabalhos.

Mas para que isso aconteça, é necessário animá-las nesta tarefa. Para tanto, a Diocese de Toledo, no Paraná, por meio da Infância e Adolescência Missionária, realiza encontros de formação que se destacam pela presença e troca de experiências.

Num desses encontros de nível diocesano, realizado no dia 16 de fevereiro, na Paróquia Nossa Senhora do Carmo, Assis Chateaubriand, coordenadores e assessores da Infância e Adolescência Missionária conheceram um pouco mais sobre o protagonismo dentro da Obra da IAM.

Além disso, aprofundaram os conhecimentos na metodologia de trabalho que as diretrizes propõem. A formação dos pequenos missionários foi assessorada pelo casal coordenador da IAM na província eclesiástica de Cascavel, Adelaide e Hilário da Silva, da Diocese de Foz do Iguaçu.


Os assessores (adultos), por sua vez, em uma formação recheada de dinamismo, atentos ao que fora repassado pelo assessor eclesiástico da Obra na Diocese de Toledo, Pe. Vagner Aparecido Alves, buscaram discernir o papel de cada um dentro da Infância e Adolescência Missionária, bem como, compreender, da mesma maneira que os coordenadores, a metodologia dos encontros da IAM, as quatro áreas integradas.

O coordenador diocesano da IAM, Vinicius Gomes Fazuline, viu com bons olhos este primeiro encontro anual da Obra. “Foi o nosso primeiro contato com os coordenadores e assessores da IAM, neste importante ano para a Obra em nossa Diocese. Os participantes vieram com o objetivo de aprender, de renovar seus conhecimentos, visando adequar cada vez mais o bonito trabalho que vem sendo realizado nos grupos de base, ao que é estabelecido pelas diretrizes nacionais. As crianças e adolescentes sendo protagonistas da missão, e os assessores a ponte necessária para o bom trabalho de evangelização”, afirma.

Postar um comentário

0 Comentários