Header Ads

Congresso Americano da IAM abre trabalhos com destaque para a missão


Nós temos esta missão: defender a vida e proclamar esse anúncio aos corações de todas as crianças do mundo e suas famílias, para que tenham a alegria de um encontro com o Senhor da vida”. A afirmação é de dom Sergio A. Braschi, presidente da Comissão para a Ação Missionária e Cooperação Intereclesial da CNBB, durante missa que inaugurou na noite desta sexta, dia 23, o 1º Congresso Americano da Infância e Adolescência Missionária (IAM), evento que se estende até domingo, dia 25, no Santuário Nacional de Aparecida, em São Paulo.

Ao refletir à luz das leituras, o bispo destacou a importância da missão na vida da Igreja, “a começar pelos pequeninos e pelos jovens” e convidou a olhar para os 170 anos de história da Obra da IAM, “que nasceu de um gesto de amor pelas crianças da China”, recordou. “Desde o começo, foi um olhar em defesa da vida das crianças. Hoje estamos aqui e somos chamados por Jesus – referindo-se ao Evangelho – para sermos defensores da vida da infância”. Dom Sergio convidou, a acolher a palavra da Igreja em comunhão com o papa Francisco que pede para deixar de lado a indiferença do coração e ter sensibilidade na defesa da vida, a exemplo de dom Carlos Forbin-Janson, fundador da Obra da IAM.

Participam do encontro continental, 654 assessores e coordenadores da IAM, vindos de 17 países, sendo 523 do Brasil. Além disso, mais de 80 voluntários prestam serviços nos diversos setores da organização.

Promovido pelas Pontifícias Obras Missionárias (POM) em parceria com as POM do continente americano, o Congresso tem como tema "IAM da América a serviço da missão" e como lema “Vocês são meus amigos!” (Jo 15-14).

Cerimônia de abertura
Ao abrir os trabalhos, o diretor das POM, padre Camilo Pauletti, destacou que o Congresso deseja “impulsionar o espírito e a animação missionária”. Recordou que o evento acontece no mesmo auditório que, em 2007, reuniu os bispos da América e Caribe para a V Conferência do CELAM cujo Documento final evidencia a missão. “No Brasil, a IAM é nossa joia. É a Obra Pontifícia mais visível e com maior presença na Igreja e na sociedade. Como Continente Americano, queremos expressar nossa esperança e confiança nas crianças e adolescentes que são as lideranças hoje e amanhã”, finalizou.

A secretária-geral da Pontifícia Obra da Infância Missionária, Dra. Jeane Baptistine Ralamboarison, veio de Roma e trouxe uma mensagem. “Penso que um Encontro como este deveria ser um momento de intercâmbio de experiências entre os países. Isso é importante para a animação missionária. Assim, a IAM crescerá e se fortalecerá”.

Explicou ainda, que quando visita os países em outros continentes, cita como exemplo o trabalho da IAM na América para servir de estímulo. Recordou porém, que esta Obra Pontifícia, “desde o tempo do seu fundador, dom Carlos, tem dois aspectos: o espiritual e o material. Uma oração ao dia e uma moeda a cada mês. Estes dois elementos vão juntos”.

A secretária-geral que é natural de Madagascar, sublinhou que ao colocar a IAM da América como um exemplo para os outros na parte espiritual, “na parte da ajuda material, nos mesmos países, ela não tem sido suficientemente desenvolvida. E não penso que seja culpa das crianças que se caracterizam por sua natural generosidade. Não creio também que temos de culpar a pobreza de algumas regiões. Todos podemos dar, mesmo quando damos desde a nossa pobreza”, argumentou. “Penso que os animadores nas diversas instâncias deveriam ter mais confiança na potencialidade e generosidade das crianças. Esta é uma tarefa sobre a qual os convido a refletir neste encontro”, arrematou a secretária-geral.

Referindo-se ao tema do Congresso, dom Sergio Braschi, por sua vez, lembrou que as crianças do mundo esperam a solidariedade das crianças da América e motivou os participantes à missão ad gentes, além das fronteiras.

Padre André de Negreiros, secretário da IAM no Brasil explicou como surgiu a ideia da realização do Congresso. Segundo ele, a iniciativa nasceu com a motivação do Ano da IAM que celebra os 170 anos de fundação da Obra. Na sequência, utilizou uma dinâmica para dizer que, “a IAM do Brasil acolhe a IAM de toda a América”.

Em seguida, os participantes do Congresso foram encaminhados para 13 paróquias de Aparecida (1) e Guaratinguetá (12) onde se encontram hospedados nas famílias.

Programação
Dois painéis temáticos, em português e espanhol, intercalados por testemunhos são as principais atividades na manhã deste sábado (24), no auditório do Santuário de Aparecida. À tarde, a programação continuará na Escola Estadual Conselheiro Rodrigues Alves, em Guaratinguetá, com cinco fóruns temáticos. O dia encerra com missas nas paróquias que acolhem os congressistas e um momento cultural.

A Obra da IAM (Santa Infância) foi fundada por dom Carlos Forbin-Janson, bispo de Nancy, França, em 19 de maio de 1843. Tornada Pontifícia pelo papa Pio XI em 1922, hoje a IAM está presente em todos os continentes, em mais de 130 países.

Veja mais:

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.