#FalaSério: Em Cuba, a pobreza obriga as crianças a mendigar nas ruas, atrás de turistas


Ao lado de seus pais, por vezes trabalhando com eles; em outros casos fazendo longas filas nos supermercados em troca de comida, ou sozinhas, sob um sol forte, as crianças cubanas lutam todos os dias para sobreviver. Segundo informações recebidas pela Agência Fides, o trabalho infantil em Cuba é uma chaga ainda aberta, que não parece se cicatrizar. Alguns menores são obrigados por seus pais a pedir esmola, atrás de turistas. Na praia da capital, ganham a vida como podem.

A maior parte dos trabalhadores cubanos ganha muito pouco, vivendo de pesca para receber pelo menos um dólar por dia; são guias de turistas, fazem competições de natação com eles para ter algo o que comer. Na região leste de Cuba, na estrada que conduz de Guantanamo a Baracoa, vivem crianças cujo único “passatempo” consiste em transportar lenha e água com um precário carrinho, feito em casa, a fim de que suas mães possam cozinhar, ou ajudam os pais a cuidar dos animais, que depois servem como alimento. Nunca brincaram e muitas vezes, não podem ir à escola. Em suas casas não há eletricidade. Levantam às 6h da manhã para mungir as vacas e depois vão com seus pais procurar lenha. De uma parte à outra da ilha, multiplicam-se os casos de menores que sacrificam sua vida de jogo e criatividade diante da crua realidade de sua vida cotidiana.

FONTE: Agência Fides - 13/11/2014

Comentários