#FalaSério: Ebola: apelo do hospital de Serabu; para a FAO um milhão de pessoas em risco de fome


A situação criada pela epidemia de Ebola é realmente horrível. Os nossos agentes de saúde são submetidos a riscos muito grandes e alguns perderam a vida”, afirma Pe. Paul Sandi, Secretário-Geral da Conferência Episcopal da Serra Leoa e Gâmbia, ao fazer um apelo para ajudar o hospital católico de Serabu, que se encontra a 225 km de Freetown, capital da Serra Leoa. O centro de saúde dispõe de 80 leitos e atende 3.000 pacientes por ano dos 6 povoados circunstantes.

Segundo os bispos locais, o hospital precisa urgentemente de remédios, luvas, máscaras de proteção e outros instrumentos médicos para enfrentar não somente o Ebola, mas também a cólera, málaria e febre tifoide, infecções que estão se difundindo por causa da instabilidade social e econômica causada pela pandemia de Ebola.

A epidemia de Ebola na Serra Leoa, Guiné e Libéria está causando graves repercussões no tecido econômico e social destes países. Segundo a Organização da ONU para a Agricultura e Alimentação (FAO), um milhão de pessoas nos 3 países afetados pela epidemia estão em risco alimentar por causa da epidemia. “O fechamento das fronteiras, as medidas de quarentena, a proibição da caça e outras restrições tomadas para bloquear a difusão do vírus, impedem o acessso da população ao alimento”, afirma um comunicado da FAO e do PAM (Programa Mundial de Alimentos) que lançam um apelo por uma ação urgente em favor dos países atingidos.

FALA SÉRIO: Agência Fides - 18/12/2014

Comentários