#GotasMissionárias: "Ah, eu quero! Compra pra mim, mãe?!"


Hoje conversaremos sobre a influencia negativa da TV nas nossas crianças e adolescentes... Nossos pequeninos tornam-se precocemente consumidores em potencial. Trocando em miúdos, hoje as crianças menores incentivam o consumo familiar e isso começa a partir dos três anos de idade com os insistentes pedidos. Isto se deve a um importante fator: é bem cedo que os nossos pequenos são "pajeados" pela televisão, o eficiente meio de comunicação presente na totalidade dos lares brasileiros.

Embora possa parecer inocente, a televisão consegue prender a atenção das nossas crianças por mais tempo que as brincadeiras em grupo. É através da TV que elas escolhem os seus brinquedos, trocados em seguida por um outro, tão logo seja anunciado na "telinha". As bonecas mais procuradas pelas meninas hoje estão vestidas como 'estrelas' famosas, 'capas de revista', enfim são apresentadas como modelos, maquiadas, com roupas exclusivas, sensuais, o que faz com que as meninas a partir dos quatro anos de idade já peçam maquiagem, roupas que definam seu corpo ainda em formação, trazendo consequências nem sempre contornáveis. Vale lembrar também do quanto é comum que os atuais filmes infantis se transformem em bolsas, cadernos, roupas e brinquedos, explorando ao máximo o personagem infantil em evidência.

Em muitos países existem leis rigorosas que proíbem a veiculação de propaganda no período em que as crianças assistem à televisão. No Brasil ocorre o contrário. As crianças são 'alvos potenciais' da programação, incluindo ainda os sites com diferentes linguagens publicitárias, anunciando os produtos que elas poderão consumir. Ainda é insuficiente a existência e a devida utilização da legislação específica para conter os excessos da propaganda veiculada nos meios de comunicação, direcionada especificamente às crianças e adolescentes.

Desafio para os pais e educadores
Despertar nas crianças e adolescentes um espírito crítico sobre a programação televisiva é o maior desafio para pais, educadores e animadores da IAM. Uma alternativa concreta é fazer valer o Estatuto da Criança e do Adolescente - ECA. Esta lei em suas disposições preliminares reitera sobre a proteção integral da criança e do adolescente, assegurando inclusive a prioridade na formulação e na execução das políticas sociais públicas voltada aos pequenos. No Evangelho de Mateus, Jesus nos lembra que é o Senhor da história e nos convida como seus seguidores a defender a verdade e a justiça, com a certeza de que Ele caminha conosco todos os dias (Mt 28, 18-20).

De todas as crianças do mundo, sempre amigas!

Roseane de Araújo Silva
Missionária leiga e pedagogo da Rede Pública do Paraná.

Sugestão para o grupo
- Acolhida (preparar o ambiente com os símbolos missionários, as cores dos continentes; Bíblia).
- Motivação (objetivo): refletir com o grupo o direito de ser criança ou adolescente e a influência da televisão.
- Oração espontânea pelas crianças e adolescentes vítimas dos conflitos no continente asiático.
- Partilha dos compromissos semanais

- Leitura da Palavra de Deus (sugestões para os 4 encontros):
Realidade Missionária: Mt 4, 1-11. Jesus é tentado a falsificar a própria missão, realizando uma atividade que só busque satisfazer suas necessidades imediatas, porém, resiste. Refletir em grupo as influências exercidas pelos meios de comunicação.
Espiritualidade Missionária: Mt 5, 1-12. As Bem-aventuranças anunciam a vinda do Reino através da palavra e ação de Jesus, contrários aos valores da sociedade em que vivemos. Qual o convite que Jesus me faz?
Compromisso missionário: Lc 6, 46-49. O nosso compromisso com Jesus nos convida a pôr em prática sua mensagem, construindo nossa vida pessoal e comunitária sobre alicerce que resiste aos desafios. No próximo encontro, providenciar revistas usadas para fazer recortes, papel para mural, cola e canetas coloridas. Nosso sacrifício desse mês será feito pelas crianças vítimas do conflito na Faixa de Gaza.
Vida de Grupo: Lc 22, 24-30. Jesus nos mostra que a autoridade não significa poder sobre os irmãos, mas função de serviço, como seu próprio exemplo. Organizar para o mural da comunidade cartazes a partir da reflexão sobre os meios de comunicação e consumo, e sua utilização entre as crianças e adolescentes. Planejar a realização, com os demais grupos da IAM da paróquia ou Setor, de uma "Tarde Brincante" (brincadeiras dirigidas).

- Momento de agradecimento (preces espontâneas a partir do tema e da reflexão do Evangelho)
- Canto e despedida.

FONTE: Revista Missões - Jan/Fev 2009

Comentários