#GotasMissionárias: Queremos vida em abundância!


No mês dedicado às mães e a Maria, Nossa Senhora, vamos falar de uma preocupação constante de muitas mães nos dias atuais, que é a saúde dos pequeninos. Como será que ela anda de um modo geral? As crianças e os idosos parecem ser os mais vulneráveis e são constantemente vítimas de políticas públicas insuficientes. Várias das doenças que os aflige estão ligadas diretamente à falta de água e saneamento, trocando em miúdos, doenças que poderiam ser evitadas.

Dados oficiais do sistema de saúde pública indicam que 700 mil internações hospitalares por ano foram causadas por doenças relacionadas à falta ou inadequação de saneamento nos últimos 10 anos. Deste número, para cada 100 internados estima-se que 65 sejam crianças menores de 10 anos.

Para que o tratamento de esgoto e serviço de coleta chegue a todos os lares brasileiros, seria necessário investir três vezes os recursos atuais, ou seja, cerca de nove bilhões de reais por ano, até o ano de 2020. O investimento é pequeno diante dos benefícios trazidos para a população. Atualmente menos da metade dos domicílios brasileiros têm acesso à coleta de esgoto, trazendo com isso doenças que atingem adultos e crianças. A doença mais comum nestes casos é a diarreia.

Para se ter uma ideia, quando a Pastoral da Criança surgiu há 18 anos, a diarreia era a principal causa de morte entre crianças. Graças ao trabalho de "formiguinha" das lideres das comunidades e o famoso soro caseiro, hoje em dia esta doença é a terceira causa de morte no Brasil.

O nosso compromisso como crianças e adolescentes missionários é manter a todos bem informados sobre os acontecimentos que envolvem as pessoas dos continentes (6° Compromisso da IAM). Isso nos ajuda a estarmos atentos ao que ocorre em nosso meio, assim como fez Maria nas Bodas de Cana da Galiléia (Jo 2, 1-12), quando Jesus realizou o seu primeiro sinal. Sua palavra nos convida a uma ação constante: "Façam o que ele mandar!" A partir de pequenos gestos em nossa comunidade, podemos sim colaborar, seja na separação do lixo ou mesmo não desperdiçando água.

Segundo o Fundo das Nações Unidas para a Infância - UNICEF, cerca de 900 milhões de pessoas em todo o mundo não têm acesso à água potável, enquanto que 125 milhões de crianças menores de cinco anos vivem em lares sem acesso a fontes de água potável. Devemos ser solidários a partir de nossa casa. Há muito o que fazer!

De todas as crianças do mundo,  sempre amigas!

Roseane de Araújo Silva
Missionária leiga e pedagoga da Rede Pública do Paraná.

FONTE: Revista Missões - Maio 2009

Comentários