IAM da diocese de Vacaria (RS) realiza EFAIAM e prepara assessores


A exemplo da Igreja Católica do mundo todo que atende os pedidos do papa Francisco, a Diocese de Vacaria (RS) está em estado permanente de missão. E assim o faz desde a base. Por isso, neste final de semana, cerca de 25 assessores – entre novos e já atuantes na atividade – estiveram reunidos no Encontro de Formação de Assessores da Infância e Adolescência Missionária (EFAIAM) 2015, que aconteceu na Casa de Formação Sagrada Família, em Vacaria.

O EFAIAM reuniu representantes de cinco paróquias que, durante os três dias, conheceram a origem das Pontifícias Obras Missionárias; Organização e Metodologia dos Encontros; Características do Assessor; além de outros temas que foram abordados para constituir e fortalecer a rede de assessores da Diocese.

De acordo com uma das coordenadoras diocesanas, Doraci Marini Bernardi, o EFAIAM visa preparar pessoas para trabalharem junto ao grupo e na própria comunidade. “O assessor deve estar apto a atuar conforme as metodologias propostas pela IAM, mas também precisa ter vivência comunitária. A formação aponta para a expectativa missionária voltada à criança que evangeliza outra criança”.

Presente em Vacaria desde 2002, o grupo conta, atualmente, com uma grande representação da Juventude Missionária à frente dos trabalhos da IAM. Conforme Doraci, a equipe vem se adaptando e esse número tem aumentado nos últimos anos. “No passado, a assessoria era composta muito mais por senhoras. Hoje, os jovens se destacam. Normalmente, são crianças que tiveram formação desde os três ou quatro anos na Infância Missionária e que agora, na faixa dos 13 aos 16 anos, participam da Adolescência ou Juventude Missionária e assessoram a Infância”.

Maisa Godinho, também coordenadora diocesana, compôs a equipe de organização do encontro. Para trabalhar o tema “psicopedagogia das idades”, a mestre em Educação, com ênfase em Políticas Públicas e Educação Popular, Claudia Zamboni Rossi, destacou comportamentos fundamentais que o assessor deve ter, de acordo com a faixa etária de cada grupo e chamou a atenção para a necessidade de ouvir e conhecer as pessoas que o compõem. Padre Carlos Steffens trabalhou a espiritualidade do encontro e o Padre Cláudio Prescendo fez a reflexão do sábado a noite.

Para Doraci, o final de semana termina com a garantia de que a Infância e Adolescência Missionária continua bem assessorada na Diocese. “Foi muito proveitoso. Quem esteve aqui leva uma bagagem de aprendizado. E nós também aprendemos com eles. Foi uma troca de experiência”, finaliza.

Comentários