Em Abaetetuba (PA), jovens, adolescentes e crianças se unem em defesa da Casa Comum


Motivados pela Campanha Missionária, os grupos de Juventude Missionária (JM) e Infância e Adolescência Missionária (IAM) saíram às ruas de Abaetetuba no Pará, para dizer: “cuidar da Casa Comum é nossa missão”. A caminhada aconteceu no último domingo de outubro, dia 30, e incluiu movimentos juvenis.

Animados pela encíclica Laudato sì, no Dia Nacional da Juventude (DNJ), os jovens se perguntaram: “que tipo de mundo queremos deixar a quem nos suceder, às crianças que estão crescendo?” (LS 160). Por meio da Novena Missionária, puderam visualizar e refletir sobre o sistema de saneamento básico da cidade se deparar com os problemas ambientais que afetam a todos.

Em frente ao Centro de Distribuição de água, que é rodeado de lixo, os jovens levantaram uma grande faixa com a inscrição: “A criação geme em dores de parto". Os jovens e crianças querem criar a cultura da solidariedade, porque é urgente cuidar da Terra Mãe. Silenciam, rezam e gritam que precisamos mudar, buscar um novo estilo de vida, um mundo humano e solidário.

Para a coordenadora estadual da JM, Leidiane Gomes, “nos tempos difíceis que passa o Brasil, diante da crise sócio-política e ambiental, os que mais sofrem são as pessoas simples e pobres, os povos indígenas, os pequenos agricultores, os ribeirinhos. Só através de uma ação política séria é que conseguiremos fazer as mudanças necessárias para realizar a esperança do povo. Queremos um mundo melhor e criar a tão desejada sociedade do Bem Viver”, afirma a jovem. “Com esta caminhada queremos fazer do cuidado do planeta a nossa missão até os confins do mundo. Nós Juventude Missionária do Pará entendemos que tudo que Deus fez é muito bom e queremos nos empenhar para cuidar da nossa Casa Comum”, complementa a coordenadora.

Em seu itinerário formativo, a Juventude Missionária (JM), ligada à Pontifícia Obra da Propagação da Fé, escolheu estudar o conceito do Bem Viver, uma importante contribuição dos povos indígenas para superar a crise atual. O conceito prevê: vivência em comunidade, onde todos se preocupam com todos, em que tudo está interligado e em harmonia com o meio ambiente. Essa visão supera a proposta da falsa cultura do consumismo que só visa o lucro. O Bem Viver é um modelo de economia onde o ser humano, em harmonia com a natureza, estrutura todo o sistema de produção e distribuição de tal modo que as capacidades e necessidades de cada um encontram apoio adequado ao ser social. Os jovens podem mudar o mundo. Os cadernos de estudos sobre o tema encontram-se disponível no site das POM. Clique aqui.

Com informações da JM do Pará.


Comentários