AMÉRICA/BOLÍVIA - Maltratadas 850 mil crianças trabalhadoras em condições precárias


Metade da população boliviana, mais de 5 milhões de pessoas, tem 17 anos ou menos, e destas, cerca de 850 mil crianças e adolescentes trabalham em atividades perigosas ou mal retribuídas, como a coleta de cana de açúcar e castanhas, trabalho em minas, no setor da pesca, da construção civil, na venda de bebidas alcoólicas, coletando lixo, em hospitais, ou trabalhando como seguranças ou domésticos.

Um estudo do Ministério do Trabalho aponta que a saúde e a integridade física dos menores está comprometida pelo ambiente de trabalho. 76 mil menos e 58 mil meninas de 5 a 13 anos trabalham em áreas urbanas, enquanto 160 mil meninos e 143 mil meninas estão empenhados principalmente no campo da agricultura. Em relação à faixa etária de 14 a 17 anos, na área urbana, cerca de 99 mil trabalhadores são rapazes e 73 mil jovens meninas, e nos campos, os rapazes são 78 mil e as moças, 58 mil.

Além das dificuldades econômicas familiares, as crianças são forçadas a trabalhar por causas como pobreza, migração, irresponsabilidade dos pais e divisão das famílias. 

FONTE: 13/04/2012

Comentários