Header Ads

Encontro Regional da Juventude e Adolescência Missionária foi realizado em Gama (DF)


O Encontro Regional da Juventude e Adolescência Missionária, sediado na Cidade de Gama (DF), de 20 a 22 de abril, reuniu cerca de 190 adolescentes e jovens vindos de nove dioceses da Região Centro-Oeste, Arquidiocese de Brasília, Arquidiocese de Goiânia, Diocese de Anápolis, Diocese de Formosa, Diocese de Ipameri, Diocese de Jataí, Diocese de Luziânia, Diocese de São Luís de Montes Belos e Diocese de Uruaçu.

Após a animada acolhida dos jovens e distribuição dos kits no auditório da igreja Matriz de São João Batista, Pe. Badacer Neto, secretário nacional da Pontifícia Obra da Propagação da Fé, abordou o tema “Adolescentes e Jovens Missionários superam a violência, em busca da justiça” trazendo aos nossos olhos a realidade da juventude brasileira e diante disso, qual seria o papel do jovem e do adolescente missionário nos dias de hoje, no contexto de uma sociedade marcada e ferida pela horrenda criminalidade, pelos genocídios, pelas drogas, pela corrupção, etc.


Após os participamos realizaram uma bonita Caminhada dos Mártires relembrando que “O sangue dos Mártires é semente de novos cristãos” (Tertuliano – séc II), caminhada esta em sinal de gratidão e louvor a Deus pelas vidas de grandes homens e mulheres, santos e santas que deram a vida em nome de Jesus Cristo. Saímos da Igreja São João até Igreja São Luís Gonzaga onde aconteceu a celebração eucarística de abertura Oficial do XII ERJAM.

A missa foi presidida por Pe. Freddy Fingila, Missionário Verbita. Calorosamente recebidos em sua paróquia, Pe. Freddy motivou através de uma carta do Papa João Paulo II para a juventude. “Precisamos de Santos que estejam no mundo; e saibam saborear as coisas puras e boas do mundo mas que não sejam mundanos” e ainda exortou numa bela catequese sobre a Sagrada Eucaristia segundo o evangelho do dia. “Quem come a minha carne e bebe o meu sangue tem a vida eterna, e eu o ressuscitarei no último dia” (Jo 6,54). A sexta-feira foi concluída com a acolhida nas famílias.


No sábado as atividades iniciaram com a celebração eucarística presidida por Pe. Badacer, ressaltando a importância de manter o foco na ressurreição e darmos testemunho desse Cristo Ressuscitado como São Pedro. “A quem iremos, Senhor? Tu tens palavras de vida eterna” (Jo 6, 68). Em seguida os jovens ouviram a palestras e depoimentos sobre “superação da violência”. Houve a partilha da Sra. Déa Cláudia Duarte (COMIPA) contando aos jovens sobre as dificuldades que passou durante sua infância. E o Sr. Pablo Ricardo Lima (Comunidade Missionária Mariana) partilhando sobre seu processo de conversão e sobre sua vida missionária.

Os jovens puderam visitar duas casas que muito fazem pela população carente. A Casa Santo André, uma associação sem fins lucrativos e que tem a missão de ajudar os moradores de rua e dependentes químicos a reencontrar seu caminho e a ter uma chance de reconstruir sua história, oferecendo a essas pessoas a oportunidade de retomar suas vidas, voltar à atividade profissional e reestruturar seu lar. Também foi visitada a Casa Menino Jesus Obra das Filhas do Amor de Jesus Cristo, entidade beneficente que já acolheu aproximadamente mais de 5 mil assistidos, crianças e adolescentes, carentes acometidos de câncer e problemas renais, cardíacos e paralisia cerebral. A tarde do sábado foi dedicada às visitas missionárias. encerrando com partilha na comunidade das experiências missionárias vivenciadas.

Para Michael Lopes, da IAM da Arquidiocese de Goiânia, esta foi uma experiência muito boa e sem dúvidas muito impactante. “Saímos nas casas querendo conhecer a realidade das pessoas que moram ali naquela região, e o que pude perceber, é o quanto as pessoas estão sedentas da palavra de Deus, de uma palavra de conforto, de uma pessoa amiga para ouvi-las. Não foi uma ou duas pessoas que nós missionários quase não precisamos falar. Foi necessário apenas estar ali, mostrando que queríamos escutar, que as pessoas já se abriam e contavam de toda a sua vida. Foi confortante saber que naquele momento estávamos fazendo o bem a alguém. Percebi também o quanto a Igreja Católica vem perdendo seu espaço, pois mais da metade das famílias que visitamos eram de outras religiões. Demonstrando o quanto esse trabalho de missão e evangelização que fazemos é importante”, relatou Michael.


A noite, após o terço missionário, os jovens rezaram pelas necessidades urgentes de cada continente. Após, foi realizada uma noite cultural, animando ainda mais o encontro. Cada diocese preparou uma atividade cultural para apresentar abordando o tema e lema do nosso ERJAM 2018.

Gustavo Dias, da JM da Diocese de São Luis de Montes Belos, ressaltou que o 12° ERJAM foi um reencontro com a dimensão missionária, um momento de crescimento na fé. “Este ERJAM significou muito pra mim, eu pude sair da zona de conforto que era a minha diocese e meus amigos de lá, e ir para o Gama com pessoas da minha diocese que não tinham experiência de missão, assim, pude reencontrar amigos de outros locais e, principalmente, fazer novas amizades. O ERJAM do Gama me fortaleceu, me animou e me relembrou como é bom estar em contato com o outro, amá-lo, respeitá-lo e ser solidário em diversas situações”, destacou Gustavo.

No domingo, último dia do encontro, após a oração da manhã, as dioceses fizeram a avaliação do encontro. Os missionários seguiram para participar da missa de envio e encerramento do encontro na Catedral Diocesana de Brasília, presidida por Dom Marcony Ferreira, Bispo auxiliar e concelebrada por Pe. Maurício da Silva Jardim, diretor nacional das POM, e Pe. Badacer. Em sua homilia, Dom Marcony dirigiu uma fala especial aos participantes do XII ERJAM e destacou a importância de fazermos primeiramente nosso encontro pessoal com Jesus para posteriormente anunciá-lo aos outros. Ao final, foi anunciado que o próximo ERJAM no ano de 2020 será na diocese de Jataí (GO).

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.